Ir para o conteúdo

Blog da Cultura

Our Latest News

Donas do jogo: presença feminina no mercado gamer é destaque no Brasil!

Gardenia
28 de agosto de 2021

Você sabia que as mulheres são a maioria entre o público gamer? Isso mesmo! De acordo com dados da 8ª edição da Pesquisa Game Brasil (PGB), referência no estudo de hábitos de consumo do gamer brasileiro, as mulheres representam 51% do público que joga. Ou seja: a presença feminina no mercado gamer vem se expandindo, o que, consequentemente, gera ainda mais oportunidades para esse público.

Aliado a isso, vale ressaltar que estamos falando de um mercado cuja previsão de faturamento para este ano é de 2,3 bilhões somente no Brasil, de acordo com a Newzoo, consultoria especializada no setor de games que analisa os dados deste segmento.

De fato, estamos frente a um mercado promissor! E quando se fala em mulheres no mercado gamer, a sua relevância vem crescendo, e não é de hoje. A mudança de perspectiva é visível, inclusive, dentro dos próprios jogos.

Quem não se lembra, por exemplo, da icônica Lara Croft, no reboot de Rise of The Tomb Raider, em 2013? Rhianna Pratchett, que escreveu o jogo, foi responsável pela mudança de representação da personagem, cujo lado sensual foi deixado para trás, passando a predominar o seu lado empoderador.

Portanto, estamos diante de uma área promissora e que pode ter as mulheres como protagonistas.  A presença feminina no mundo gamer já é uma realidade, embora ainda exista um longo caminho a ser percorrido,. Tal fato demonstra que, seguindo em frente, as mulheres podem ser invencíveis na busca por oportunidades em um mercado – ainda – predominantemente masculino. 💪🕹🙋‍♀️

Mulher gamer levanta o braço com o objetivo de mostrar que tem força

Entenda o aumento da presença feminina no mercado gamer

Ao analisarmos mais a fundo os dados da 8ª edição da Pesquisa Game Brasil realizada este ano, nos deparamos com números que demonstram que as mulheres, pelo quinto ano consecutivo, são destaque no mercado gamer.

Destrinchamos um pouco mais a pesquisa e trouxemos para cá outros dados interessantes. Veja-os abaixo!

  • Dentre o público feminino entrevistado, 57,5% se consideram gamers.
  • 55,8% das mulheres disseram ter o perfil mais “casual”, ou seja, priorizam a diversão.
  • As mulheres que têm o estilo mais casual gastam, em média, uma hora por partida.
  • A maioria das mulheres (62%) prefere jogar no smartphone (aqui, é importante ressaltar que o smartphone, de acordo com a pesquisa, é preferência nacional, sendo a plataforma utilizada pela maioria dos gamers no Brasil).

Conforme acabamos de ver, a presença feminina no mercado gamer já é uma realidade, o que representa uma mudança – mesmo que a passos lentos – neste universo. Inclusive, os números que acabamos de analisar nos mostram que há possibilidades para todos, sejam homens, sejam mulheres. No entanto, claro, é preciso ter interesse pela área em que se deseja inserir e/ou se especializar, estar sempre por dentro das novidades, acompanhar blogs, perfis, notícias sobre o mercado e, claro, jogar.

Dessa forma, para trazer ainda mais inspiração para as mulheres que têm interesse pela área, trouxemos 3 nomes que marcaram a presença feminina no mercado gamer. Confira na sequência!

3 mulheres que são destaque na área de jogos eletrônicos

Para quem tem dúvidas de que o mercado gamer também é território feminino, trouxemos exemplos de mulheres que são referência na área. Além disso, elas deixaram o seu nome na história em uma época em que os recursos eram limitados, ou seja, a inteligência por trás das máquinas não funcionava da forma como vemos hoje. É incrível como essas mulheres marcaram gerações, inspirando e destacando a importância da presença feminina no mercado gamer.

1- Carol Shaw

Considerada a primeira programadora de games do mundo, Carol Shaw iniciou sua carreira na Atari, com a criação do 3D Tic-Tac-Toe para o Atari 2600. Mas o melhor ainda estava por vir! Em 1982 Shaw marcaria para sempre o mundo gamer com a criação do famoso e clássico jogo de Atari River Raid. Por fim, como forma de consagrar os seus feitos na área gamer, em 2017 ela ganhou o prêmio “Industry Icon Award”, no evento The Game Awards.

2- Roberta Williams

Considerada um ícone na história dos videogames, Roberta Williams ficou conhecida ao criar o seu próprio jogo de aventuras. Inclusive, vale ressaltar que isso aconteceu em 1979, ou seja, há 42 anos, quando os computadores ainda eram considerados objetos restritos ao uso profissional, por serem muito caros.

3- Jade Raymond

Outro nome de grande notoriedade para o mercado game é Jade Raymond, criadora do game Assassin’s Creed, pela Ubisoft e do The Sims, pela Electronic Arts, que emplacaram nos anos 2000. Mas este era só o início da carreira marcante de Raymond na indústria gamer. Como resultado de seu sucesso, em 2019 ela assumiu o cargo de vice-presidente do Google. Sua missão era – simplesmente – liderar o primeiro estúdio de game da empresa! Que ícone, né? 😍

Mudança de comportamento das empresas

A presença feminina no mercado gamer tem sido valorizada pelas empresas, principalmente nas áreas de desenvolvimento de jogos ou e-Sports. Inclusive, as organizações estão passando a enxergar esse público como aliadas, contando com a sua participação em decisões estratégicas que envolvem a tomada de decisões, campanhas de divulgação, entre outras.

De fato, apoiar as mulheres demonstra que a empresa está alinhada à realidade atual, já que o público feminino ganha cada vez mais espaço no mercado gamer. Aliás, vale lembrar que este, por sua vez, investe alguns milhões anualmente nesta indústria promissora.

Além disso, ao abrir espaço para as mulheres em um mercado predominantemente dominado pelos homens, as empresas mostram, acima de tudo, que defendem uma causa maior: a igualdade de gênero dentro do mercado gamer. O objetivo, com isso, é mostrar, por meio da perspectiva feminina, que há espaço para todos, independentemente do gênero.

De acordo com as várias conquistas realizadas ao longo da história que marcam a presença feminina no mercado gamer, as mulheres ganham notoriedade e mostram que estão aptas a ocupar os cargos que tanto almejam nas empresas. O que elas querem é ser reconhecidas pelo seu talento. Como profissionais da área gamer, elas se destacam como desenvolvedoras, streamers, criadoras e players. É a sua força e o seu talento que as fará conquistar os seus objetivos!

Mulheres gamers nas grandes competições

Mulher gamer ajeita fone de ouvido verde para começar a partida

Ao passo que o número de mulheres nos jogos avança, as ligas femininas estão cada vez mais presentes nas competições. Um exemplo é a Game XP! No final de 2020, o evento anunciou a premiação de 200 mil reais para a maior liga feminina, chamada CS:GO Grrrls League.  As equipes iniciaram a disputa em janeiro deste ano e a final deste campeonato está próxima de acontecer, vai ser na Game Arena durante a Game XP 2021. Não perca!

Um presente especial da Cultura Inglesa para você!

Se tratando do mercado gamer, não poderia ser diferente! Estamos à frente de movimentos que trazem à tona a inovação e tecnologia aliados ao aprendizado. Este, inclusive, é um dos motivos que nos impulsionou a ser o curso de inglês oficial da Game XP, assinando como marca apoiadora.

Inclusive, aqui na Cultura você pode se tornar referência no mercado gamer. Preparamos um evento especial que mostra tudo o que envolve esta área:os desafios da carreira gamer, a importância do inglês neste universo, as oportunidades oferecidas na área e muito mais!

Participe do nosso workshop gratuito “Teoria dos jogos: como ser um professional gamer” e esteja ainda mais preparado para conquistar a carreira dos seus sonhos!

 

Comentários (0):

Your Email address will not be published.

Artigos Relacionados